Moçambique

Moçambique: O último adeus a Daviz Simango

Daviz Simango, líder do MDM, foi hoje a enterrar na Cidade da Beira, em Moçambique.
Daviz Simango, líder do MDM, foi hoje a enterrar na Cidade da Beira, em Moçambique. DR

O funeral de Daviz Simango, autarca e presidente do MDM, teve lugar este sábado, na cidade da Beira, em Moçambique. Na cerimónia de despedida, o Presidente Filipe Nyusi lembrou que o país perdeu um edificador da paz e da democracia. 

Publicidade

A cerimónia de despedida a Daviz Simango, que faleceu esta semana, aos 57 anos, na África do Sul, vítima de doença, decorreu este sábado no átrio dos Caminhos de Ferro de Moçambique Centro, na cidade da Beira.

Na mensagem de despedida a Daviz Simango, o Presidente Filipe Nyusi afirmou que o país perdeu um edificador da paz e da democracia.

“Este filho de Moçambique foi um actor fundamental na edificação da jovem democracia. Daviz Simango foi um engenheiro, mas foi também um engenheiro de almas, um edificador de pontes de diálogo. Era assim que ele se conduzia na vida e no debate político”, salientou.

O líder da Renamo, Ossufo Momade, disse que Moçambique fica mais pobre com a morte de Daviz Simango.

“Nós pensamos que esta perda não é só para o Movimento Democrático, mas sim para a população moçambicana”, admitiu. 

O secretário- geral do MDM, José Domingos, prometeu preservar o legado deixado por Daviz Simango.

“Continuaremos com a missão que nos deixaste, a de construir um Moçambique para todos”.

Daviz Simango foi presidente do Concelho Municipal da segunda cidade de Moçambique, Beira, desde 2003 - primeiro para o maior partido da oposição, a Renamo, e mais tarde como independente, antes de formar o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) em 2009.

O engenheiro civil foi diversas vezes reeleito autarca da Beira e ficou em terceiro lugar nas eleições presidenciais  em 2009, 2014 e 2019.

Daviz Simango ficou ainda conhecido pelas acções que travou para proteger a cidade das alterações climáticas, trabalho que intensificou após os dois ciclones que devastaram a costa de Moçambique em 2019, arrasando grande parte da Beira, deixando mais de 600 mortos e centenas de milhares desalojados. 

Daviz Simango, faleceu esta semana, aos 57 anos, vítima de doença. Os restos mortais do líder do MDM  foram sepultados no cemitério Santa Isabel na cidade da Beira.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI