Moçambique

Moçambique: condenação a penas de 20 anos de prisão contra raptores

Empresário Manish Cantilal.
Empresário Manish Cantilal. © Facebook

O Tribunal Judicial de Maputo condenou ontem a 20 anos de prisão dois cidadãos envolvidos no rapto do empresário, Manish Cantilal, no ano passado. A terceira pessoa em acusação foi absolvida por insuficiência de provas neste caso.

Publicidade

O rapto do empresário ocorreu em Fevereiro do ano passado mas só agora conheceu desfecho pelo tribunal judicial de Maputo. O juiz da causa, Efigénio Baptista, estipulou uma pena a dois dos três acusados, que desencoraje este tipo de crime.

"Adolfo Jaime Novela e Ana Priscila Francisco Maculane na pena única, justa e adequada de 20 anos de prisão maior. O Tribunal faz assim um juízo de prognose desfavorável relativamente a reinserção, reabilitação dos réus pelo que urge prevenir e estabelecer penas exemplares que lhes farão sentir o desvalor das suas condutas", declarou o juiz.

A terceira pessoa acusada neste caso, Benilde Chilengue, foi absolvida por falta de provas no seu envolvimento no rapto do empresário Manish Cantilal, contudo vai permanecer detida pela sua participação confessa em outros casos.

A onda de sequestros tem estado a agitar a sociedade moçambicana nos últimos tempos, o que levou no ano passado por exemplo, a que a comunidade empresarial encerrasse na cidade da Beira, o comercio por três dias para manifestar o seu descontentamento com a falta de esclarecimentos por parte da polícia.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI