Moçambique

Moçambique: Retoma das discussões do salário mínimo ainda sem data marcada

Parlamento moçambicano.
Parlamento moçambicano. © ANTÓNIO SILVA/LUSA

Um ano após a suspensão pelo Governo da actualização do salário mínimo devido à covid-19, os partidos políticos consideram que esta não pode continuar a ser uma justificação aceite. Apelam por isso ao executivo a encontrar uma saída para a situação que está a afectar, negativamente, a classe trabalhadora.

Publicidade

Os partidos políticos, e na oposição, seguem na dianteira e entendem que é chegado o momento de se retomar a negociação do largo mínimo por sectores de actividade. Arnaldo Chalaua, porta-voz da Renamo, justifica porquê: «As receitas do Estado existem, há uma arrecadação de receitas. O órgão do Estado, as instituições do Estado estão a trabalhar normalmente. O que falta na verdade é a vontade política», afirmou Arnaldo Chalaua.

A Frelimo, no Governo, vai no mesmo sentido e espera, diz o porta-voz do partido  da bancada, Feliz Silvia, que o Governo olhe para a situação da massa laboral: «Que encontre um meio termo mesmo com estas adversidades da pandemia para poder reajustar aquilo que for possível», concluiu Feliz Silvia.

A primeira sessão ordinária do conselho consultivo do trabalho reunido na sexta-feira, em Maputo, deixou claro que a retoma das discussões do salário mínimo, suspensa no ano passado devido à Covid-19, ainda não tem data marcada.

Entretanto, e em outros destaques da actualidade informativa  moçambicana, o presidente da Renamo, principal partido da oposição, Ossufo Momade, de visita a província da Zambézia no centro do país responsabiliza o Governo pela pobreza que afecta a maioria da população.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

 

Correspondência de Moçambique 21-03-2021

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI