FDS controlam Palma

Moçambique: Forças de Defesa e Segurança controlam Palma e convidam população a regressar

Famaliares aguardam em Pemba os barcos que trazem deslocados da vila de Palma, atacada e ocupada por terroristas e doravante controlada pelas Forças de Defesa e Segurança de Moçambique.
Famaliares aguardam em Pemba os barcos que trazem deslocados da vila de Palma, atacada e ocupada por terroristas e doravante controlada pelas Forças de Defesa e Segurança de Moçambique. © AFP - Alfredo Zuniga

As Forças de Defesa e Segurança de Moçambique - FDS - garantiram no domingo, 4 de abril, ter retomado o controlo da vila de Palma, atacada a 24 de março por terroristas, acto reivindicado dias depois pelo Estado Islâmico em Moçambique - ISIS, que a ocupou durante 11 dias, provocando um número ainda indeterminado de mortos e a fuga em massa das populações, que de barco se refugiaram em Pemba, capital do distrito de Cabo Delgado, onde desde outubro de 2017 os ataques provocaram mais de 2.000 mortos e mais de 700.000 deslocados.

Publicidade

A informação foi confirmada pelo governador de Cabo Delgado Valige Tauabo, que visitou, a vila de Palma, nos últimos dias palco de violentos confrontos entre as forcas de defesa e segurança e os grupos terroristas e afirmou que "o inimigo foi derrubado".

"A nossa presença aqui é por sabermos que as nossas Forças de Defesa e Segurança entregaram-se à causa da pátria e tudo o que dizem e que o governo depois traz a público é exactamente isso, de que o trabalho que foi realizado, fez com que o inimigo fosse derrubado

O anúncio da tomada de Palma pelas Forcas de Defesa e Segurança, das mãos dos grupos terroristas acontece duas semanas depois da vila ter sido atacada e ocupada por grupos terroristas e o brigadeiro Chongo Vidigal apela a cautelas :

"é preciso muita acutilância, muita atenção, muita ponderação por parte das forcas que estão la no sentido de ir recebendo essa população mas ao mesmo tempo ir fazendo a profilaxia". 

As FDS afirmam que o Aeródromo de Palma, localizado na saída da sede distrital em direcção ao Posto Administrativo de Quionga, era o único ponto que ainda não tinha sido verificado, o que ocorreu este fim-de-semana.

Concluímos a clarificação [do Aeródromo]. Era a única área sensível que nos faltava fazer a clarificação. Está completamente segura. Penso que mesmo nos próximos tempos, se houver alguma ponte aérea para prover alimentação às populações que estão a regressar, pode ser usada sem nenhum problema”, garantiu o brigadeiro Chongo Vidigal, porta-voz do Teatro Operacional Norte, em entrevista a jornalistas presentes no local.

As Forças de Defesa e Segurança de Moçambique continuam a trabalhar para que a população regresse à vila de Palma em segurança. 

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo 5/04/2021

Edson Cortês, director-geral do Centro de Integridade Pública - CIP - demonstra-se céptico quanto ao facto de que a população de Palma poderia voltar à sua terra e denuncia um "discurso propangandístico do regime".

Edson Cortês, director-geral do CIP Moçambique

De recordar que o ataque à vila-sede de Palma precipitou, mais uma vez, a paralisação das actividades de construção da Fábrica de Liquefação de Gás Natural pela companhia francesa Total, que evacuou a totalidade dos seus trabalhadores.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI