Moçambique/Cabo Delgado

Moçambique: Renamo quer ex-guerrilheiros a combater em Cabo Delgado

Ossufo Momade, presidente da Renamo
Ossufo Momade, presidente da Renamo AFP

A Renamo defende o envio para a frente militar em Cabo Delgado, norte de Moçambique, de ex-guerrilheiros do braço armado do partido.

Publicidade

Ossufo Momade, presidente do maior partido da oposição moçambicana, sublinha que o partido já entregou “uma lista de 362 elementos nossos, ‘rangers’” para reintegração nas Forças de Defesa e Segurança moçambicanas no âmbito do processo de desmilitarização, desarmamento e reintegração em curso após a assinatura do acordo de paz de 2019.

Momade defende, em declarações à agência Lusa, que esta “seria uma oportunidade” para as autoridades “enquadrarem” os ex-guerrilheiros e eles fazerem “um trabalho em Cabo Delgado", reforçando o combate aos rebeldes armados que há três anos e meio atormentam o norte do país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI