Economia

Mais de 1.300 pequenas e médias empresas em Moçambique fecharam devido à covid-19

Feira em Maputo. 28 de Março de 2018.
Feira em Maputo. 28 de Março de 2018. AFP - MAURO VOMBE

Mais de 1300 pequena e médias empresas de Moçambique foram forçadas a encerrar portas devido ao impacto negativo da covid-19 e milhares de trabalhadores viram os seus contratos suspensos. 

Publicidade

A Associação das Pequenas e Medias Empresas defende que só a criação de um banco de desenvolvimento genuinamente moçambicano  poderá ajudar a recuperar a situação através da abertura de linhas de financiamento com taxas comportáveis. 

"[É preciso] Um banco de desenvolvimento, só assim se pode facilitar as pequenas e médias empresas a contrair investimento, mas no Estado moçambicano, o dinheiro está nos bancos comerciais. E nós sabemos que o negócio do banco é vender dinheiro e as suas taxas, por si só, não vão baixar tanto ao ponto de facilitar para as pequenas e médias empresas", afirmou Feito Tudo Male, presidente da Associação das Associação das Pequenas e Medias Empresas. 

Na primeira vaga da covid-19 no país, cerca de 90% das pequena e médias empresas de Moçambique foram forçadas a encerrar, com a Associação que as defende a denunciar já na altura que os apoios não eram suficientes.

Dados do Ministério da Cultura e Turismo de Moçambique indicam que o sector do turismo é dos mais prejudicados com a eclosão da covid-19 em Moçambique.

A terceira vaga da pandemia no país está a ser severa e nas últimas duas semanas houve uma média diária de 20 óbitos, com 1.400 novas infecções pelo novo coronavírus e acima de 50 internamentos. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI