Moçambique/Mulheres

"A desigualdade de género, a violência contra a mulher ainda persiste”

Cabo Delgado no norte de Moçambique, imagem de arquivo.
Cabo Delgado no norte de Moçambique, imagem de arquivo. © Liliana Henriques

Em Moçambique, a ministra do Género Criança e Acção Social, Nyeleti Mondlane, considera que “apesar dos progressos que se têm registado, a desigualdade de género, a violência contra a mulher e a rapariga ainda persistem”. O continente africano assinala este sábado o Dia da Mulher Pan Africana, instituído a 31 de Julho de 1962.

Publicidade

A ministra moçambicana do Género Criança e Acção Social, Nyeleti Mondlane, considera que “apesar dos progressos que se têm registado, a desigualdade de género, a violência contra a mulher e a rapariga ainda persistem”.

“Apesar dos progressos que se tem registado, a desigualdade de género, violência contra a mulher e a rapariga ainda persistem no nosso seio”, garante.  

Nyeleti Mondlane admite que o caminho ainda é longo, salientado que com o empenho de todos será possível construir-se uma África melhor e igual para todos.

“Uma África livre de violência, descriminação e uniões prematuras e onde, mulheres e homens possam usufruir dos mesmos direitos, das mesmas oportunidades traduzindo desta forma o sonho das mulheres de 1962 em ideais do pan-africanismo”, concluiu. 

Os países africanos assinalam este sábado o Dia da Mulher Pan Africana, instituído a 31 de Julho de 1962, durante a conferência das Mulheres Africanas. Nesta mesma data também se criou a Organização Pan-africana das Mulheres. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI