Moçambique

Moçambique: Atrasos no pagamento das pensões a ex-guerrilheiros da Renamo

Ossufo Momade, presidente da Renamo.
Ossufo Momade, presidente da Renamo. © Adrien BARBIER / AFP

O Grupo de Contacto está a trabalhar com vista ao pagamento das pensões devidas a mais de mil guerrilheiros da Renamo na província de Sofala, no centro de Moçambique. A garantia foi dada ao Presidente do principal partido da oposição, Ossufo Momade, que se reuniu, sem avançar detalhes, com a Presidência do Grupo de Contacto.

Publicidade

Depois dos antigos guerrilheiros da Renamo desmobilizados, na província de Sofala no centro de Moçambique, terem-se queixado de não estarem a receber, do Governo, as suas pensões a mais de cinco meses, o presidente do principal partido da oposição do país e na oposição veio agora dar certezas aos seus homens.

Reuni com o Embaixador americano - Dennis Hearne - que é o Vice-Presidente do grupo de contacto, reuni com o Mirko Manzoni que é o Presidente do Grupo de Contacto e a resposta e positiva, na medida em que nós não estávamos a acompanhar devidamente o trabalho que estes estavam a fazer”, afirmou.

Ossufo Momade acrescentou ainda que “ninguém foi abandonado, eles estão a trabalhar com o Banco Mundial, estão a trabalhar com vários organismos para que possamos ter a pensão dos nossos desmobilizados”, concluiu o presidente do principal partido da oposição do país.

São ao todo 5 200 os antigos guerrilheiros da Renamo que deverão ser abrangidos pelo processo Desmobilização, Desmilitarização e Reintegração - DDR - à luz dos acordos de paz definitiva e reconciliação nacional assinados entre o governo moçambicano e o antigo movimento rebelde.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Correspondência de Moçambique 29-08-2021

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI