Crime

Associação diz haver um esquadrão de morte ao serviço de Paul Kagame em Moçambique

Paul Kagame, Presidente do Ruanda, é acusada por uma associação de ruandesas em Moçambique de ter um esquadrão de morte à sua ordem que opera no país.
Paul Kagame, Presidente do Ruanda, é acusada por uma associação de ruandesas em Moçambique de ter um esquadrão de morte à sua ordem que opera no país. Simon Wohlfahrt AFP

A Associação dos Refugiados Ruandeses de Moçambique denuncia a existência de um esquadrão de morte ao serviço do regime do presidente ruandês, Paul Kagame. Uma reacção que surge após o assassinato de um terceiro cidadão ruandês em 3 meses no país. 

Publicidade

Karemandingo Revocat, comerciante de 49 anos, que foi assassinado com vários tiros à queima roupa, na segunda-feira, no bairro da Liberdade no município da Matola, não é o primeiro cidadão ruandês morto em território nacional e já vinha sendo alvo de ameaças, diz o presidente da Asscoiaçõa de refugiados ruandeses em Moçambique.

"Começou a sentir ameaças desde 2016 e as ameaças que vem do governo de Kigali ate hoje, essas ameaças nunca pararam", disse Cléophas Habiyaremye, presidente da associação dos refugiados ruandeses em Moçambique.

Habiyaremye denuncia ainda a existência em Moçambique de um esquadrão de morte ao serviço do regime de Paul Kagame.

"Esse esquadrão da morte de Kigali é eficaz. Não tem outra razão, quando você é refugiado, não quer ser dirigido para este esquadrão da morte, você é considerado inimigo", acrescentou.

O presidente da associação dos ruandeses refugiados em Moçambique recorda que o governo tem obrigações. 

"Esse governo de Moçambique assinou a convenção de Genebra sobre a protecção dos refugiados, eu acho que tem que assumir as suas responsabilidades", insistiu  Cléophas Habiyaremye.

Em comunicado, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados já veio lamentar a morte de Karemandingo Revocat. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI