África do Sul / Moçambique

Polícias sul-africanos condenados pela morte de taxista moçambicano

Polícias sul-africanos condenados pela morte de taxista moçambicano
Polícias sul-africanos condenados pela morte de taxista moçambicano Reuters

Oito ex-polícias sul-africanos foram nesta terça-feira considerados culpados pela morte do moçambicano Mido Macie. O taxista morreu depois de ter sido amarrado à parte de trás de um veículo da polícia e posteriormente arrastado centenas de metros pelo mesmo carro em Daveyton, a leste da cidade de Joanesburgo.

Publicidade

Os oito ex-elementos da autoridade foram condenados pelo Supremo Tribunal de Pretória e estão agora sob custódia policial. A leitura da sentença está prevista para o dia 22 de Setembro de 2015.

No final da audiência de hoje, Luvuyo Mfoku, porta-voz do Ministério Publico da África do Sul afirmou que foi feita justiça.

Ao dar conta do decorrer da audiência desta terça-feira, José Nascimento, advogado da família de Mido Macie, refere esperar uma mensagem exemplar por parte da Justiça sul-africana que deve pronunciar a sua sentença no dia 22 de Setembro.

José Nascimento entrevistado por Liliana Henriques

Mido Macie, taxista moçambicano de 27 anos, foi espancado, amarrado e arrastado uma viatura da polícia na sequência de uma discussão sobre estacionamento. Foi encontrado horas depois morto na esquadra policial de Deveyton, arredores da cidade de Joanesburgo, em Fevereiro de 2013.

Com a colaboração de Mariamo Hassamo, correspondente em Joanesburgo.

Correspondência de Joanesburgo

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI