Acesso ao principal conteúdo
Política/Moçambique

Moçambique: Dhlakama afirma governar regiões

Afonso Dhlakama, líder da Renamo
Afonso Dhlakama, líder da Renamo DR
Texto por: RFI
3 min

  O líder do principal partido da oposição moçambicana, Afonso Dhlakama considera  que já  está a governar as  regiões em que a  sua  formação  política  venceu as eleições gerais em 2014. 

Publicidade

As  relações entre o governo de Moçambique e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama permanecem tensas, à luz  das últimas declarações  do dirigente da oposição que  acusa a Frelimo o partido no poder  de não respeitar as  regras   do jogo democrático e de  não cumprir integralmente a  aplicação do Acordo de Cessão das Hostilidades  Militares assinado  em  5 de Setembro de 2014  por ele e o antigo presidente da República, Armando Gebuza.Dhlakama exige também a implementação total do  Acordo Geral de Paz(AGP) , rubricado  em 1992.O  AGPpôs fim a guerra civil que durante 16  anos assolou Moçambique e da qual os principais protagonistas foram a  Renamo e  a Frelimo.

O chefe  da Renamo,  rejeitou muito recentemente um convite do presidente Filipe Nyusi  alegando  que não tinha nada para dizer ao chefe de Estado, segundo ele, face à falta de seriedade   do Executivo. Afonso Dhlakama  considera de agora em diante, que  já  governa de facto as regiões moçambicanas nas quais o seu partido  foi vencedor  nas últimas eleições gerais decorridas em 2014.

Como o confirma o nosso  correspondente  em Maputo, Orfeu Lisboa, as  relações entre  o líder da Renamo e  o Executivo moçambicano  revelam uma tendência  para  uma maior complexidade, num  momento  em  que  o  presidente Nyusi e a sua equipa governativa apostam num clima de serenidade para impulsionar o desenvolvimento do país da  África Austral. 

  

Correspondência Maputo

 

 

       

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.