Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

FMI decidiu cancelar cooperação com Moçambique

Antoinette Sayeh, directora do Departamento do FMI para África.
Antoinette Sayeh, directora do Departamento do FMI para África. GIANLUIGI GUERCIA / AFP
Texto por: RFI
4 min

O Fundo Monetário Internacional (FMI) decidiu cancelar a cooperação com Moçambique na sequência da confirmação pelo país de um empréstimo de mais de 1 mil milhão de dólares.

Publicidade

A Rádio ONU publicou ontem à noite uma entrevista da directora do Departamento do FMI para África, Antoinette Sayeh, onde diz que o empréstimo não revelado à instituição altera a avaliação sobre as perspetivas económicas de Moçambique que foi feita pelo Fundo Monetário Internacional.

Em consequência o FMI decidiu cancelar a cooperação com Moçambique e a missão que devia se realizar na próxima semana na capital moçambicana, Maputo, até que o país revele os detalhes do empréstimo e a situação seja de facto avaliada.

Ouça a entrevista de Antoinette Sayeh, directora do Departamento do FMI para África, à Rádio ONU.

Antoinette Sayeh, directora do Departamento do FMI para África

O Governo moçambicano já reagiu às informações que dão conta que o Fundo Monetário Internacional (FMI) suspendeu a cooperação com o país até que seja esclarecida a dívida pública resultante da criação da Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM) e de um empréstimo no valor de 622 milhões concedidos à Pro Indicus para, alegadamente, a compra de navios e instalações de radares para o combate a pirataria. 

Rogério Nkomo, Director Nacional de Coordenação Institucional do Ministério da Economia e Finanças de Moçambique, afirmou que não recebeu nenhuma notificação do FMI.

Mais pormenores com o nosso correspondente Orfeu Lisboa.

Correspondência de Orfeu Lisboa

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.