MOÇAMBIQUE

Turquia pede ajuda de Moçambique na luta contra dissidentes

Recep Erdogan, aqui em Moçambique, afirmou nomeadamente que os dissidentes políticos têm uma ampla rede de instituições incluindo no ensino em Moçambique.
Recep Erdogan, aqui em Moçambique, afirmou nomeadamente que os dissidentes políticos têm uma ampla rede de instituições incluindo no ensino em Moçambique. REUTERS/Grant Lee Neuenburg

O Presidente da Turquia pediu o apoio e a colaboração das autoridades moçambicanas na neutralização de pessoas alegadamente envolvidas na tentativa de golpe de Estado na Turquia. No seu discurso, Recep Erdogan fez uma clara alusão aos fiéis do lider muçulmano Fethullah Gulen, a quem Ancara acusa de ter estado por detrás da tentativa de golpe de Estado de julho do ano passado. 

Publicidade

O Presidente da Turquia, Recep Erdogan, considera que pessoas envolvidas na tentativa de golpe de Estado em Julho do ano passado na Turquia, e fiéis ao líder muçulmano Fethullah Gulen, têm uma ampla rede de instituições incluindo no ensino em Moçambique e pediu às autoridades nacionais o apoio na sua neutralização.

Recep Erdogan falava após conversações que manteve com o chefe de estado moçambicano, Filipe Nyusi, no âmbito da sua visita de dois dias ao país. Disse nomeadamente que "um grupo de terroristas desestabilizou o nosso país e nós procuramos apoio para combater este grupo em várias partes do mundo". 

Segundo o chefe de Estado turco, estes terroristas também se encontram em Moçambique: "infiltraram-se nas Forças Armadas da Turquia e nas acções de Estado. Infiltraram-se lá e estão a mover as suas agendas ocultas em várias partes do mundo e têm uma rede de escolas e associações também em Moçambique".

Durante esse período, as partes assinaram seis acordos de cooperação nas áreas de diplomacia, que prevêem a supressão de vistos diplomáticos, economia, cultura e turismo.

Para o Presidente da República de Moçambique estes instrumentos relançam a diplomacia económica entre os dois países. Já o estadista Turco na sua visita histórica a Moçambique deixou claro que pretende incrementar investimentos económicos em Moçambique para 500 milhões de dólares americanos contra os actuais 130 milhões.

Em baixo, confira a crónica do nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa. 

Crónica de Orfeu Lisboa, correspondente da RFI em Maputo

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI