Moçambique

Partidos moçambicanos visam autárquicas de Outubro de 2018

Zona marginal de Maputo
Zona marginal de Maputo RFI/Liliana Henriques

Depois do conselho de Ministros de Moçambique ter fixado ontem a data das autárquicas para 10 de Outubro de 2018, o quinto escrutínio do género desde a municipalização do país no ano de 1998, os partidos políticos começaram imediatamente a posicionar-se no terreno na caça aos votos.

Publicidade

Três partidos extra parlamentares, PIMO, Partido Independente de Moçambique, PARENA, Partido de Reconciliação Nacional e o PT, Partido Trabalhista, formaram uma coligação. Chama-se “Esperança do Povo”, promete ser inovadora e sobretudo, esta que é a primeira coligação a surgir logo depois da fixação da data para as eleições garante que já tem candidatos para concorrer em todas autarquias, sem contudo avançar nomes. Mais pormenores com Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente da RFI em Maputo

Refira-se que as últimas eleições municipais, ocorridas em 2013, foram marcadas pela vitória da Frelimo no poder. A Frelimo conquistou 50 dos 53 municípios do país, o MDM alcançou o poder nos 3 restantes enquanto a Renamo, segunda maior força política do país, boicotou o escrutínio por considerar que a lei eleitoral favorecia a formação no poder. Em 2018, o cenário poderia ser diferente, a Renamo tendo garantido no passado mês de Janeiro, ou seja bem antes de se marcar a data das eleições, que desta vez irá participar nas autárquicas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI