Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Dhlakama: "gostaríamos de ver paz e democracia"

Afonso Dhlakama, presidente da Renamo.
Afonso Dhlakama, presidente da Renamo. GIANLUIGI GUERCIA / AFP
Texto por: RFI
3 min

Moçambique assinala este domingo 42 anos de independência. No acto oficial, Filipe Nyusi, anunciou a retirada das Forças de Defesa e Segurança de nove posições que ocupavam no âmbito dos confrontos com o braço armado da Renamo.

Publicidade

Esta manhã, na Praça dos Heróis em Maputo, Filipe Nyusi, anunciou a retirada, até ao final de segunda-feira, das Forças de Defesa e Segurança de nove posições que ocupavam no âmbito dos confrontos com o braço armado da Renamo.

Uma decisão que confirma a vontade de manutenção de um ambiente de confiança mútua entre as duas partes, sublinhou o presidente de Moçambique.

Por outro lado, o líder do maior partido da oposição, Afonso Dhlakama, em exclusivo à RFI, sublinha o significado que estas mais de quatro décadas de independência deveriam ter.

Afonso Dhlakama, presidente da Renamo

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.