Moçambique

Início do ano lectivo em Moçambique

Crianças em escola de Maputo em finais de Junho de 2015
Crianças em escola de Maputo em finais de Junho de 2015 Neidy Ribeiro/RFI

Assinalou-se hoje numa cerimónia oficial presidida pelo primeiro-ministro moçambicano em Manica, no centro de Moçambique, o início de um novo ano lectivo em Moçambique. A partir de Segunda-feira regressam às aulas 7 milhões de alunos, dos quais um milhão e trezentos mil novos ingressos que vão frequentar os ensinos, primário e secundário, num contexto de contenção orçamental.

Publicidade

Para responder às necessidades para este ano lectivo que decorre até 16 de Novembro, o executivo moçambicano contratou mais cinco mil professores, mas reconhece na última edição da sua publicação, o boletim Moçambique, que "o número está aquém das necessidades, mas é o possível olhando para a disponibilidade financeira". No mesmo sentido, o Porta-voz do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, Manuel Simbine, também admitiu que o ano lectivo abre com um défice.

Para além da falta de professores, designadamente no ensino primário, onde o executivo refere que seriam necessárias 14 mil novas contratações, este ano lectivo de 2018 caracteriza-se igualmente por carências materiais, com o registo de algumas salas de aulas destruídas pela depressão tropical que fustigou a região norte do país bem como a falta de carteiras. Mais pormenores com Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente da RFI em Maputo

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI