Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique: encerramento de mesquitas gera contestação

mesquita
mesquita Lusa
Texto por: RFI
3 min

A comunidade islâmica distancia-se dos ataques perpetrados por homens armados em Cabo Delgado e com ligações ao islão.

Publicidade

Os ataques armados que se vem registando em Cabo delgado, no norte de Moçambique, nada tem a ver com muçulmanos diz Abdul Rachide Ismael Presidente da comunidade islâmica; "neste país, o nosso poder é a Constituição da República que temos respeitado e aqueles que não a respeitam  não merecem ser chamados de muçulmanos e muito mesmo seguidores do islão. Eles podem levar o nome dos muçulmanos, mas não são".

"Como é que hoje aparecem pessoas a intitularem-se de muçulmanos se fazem barbaridades dessas? Faço um apelo ao governo; trabalhem e façam justiça e acabem com eles" alertou o Presidente da comunidade islâmica.

Uma contestação que surge depois do encerramento de algumas mesquitas pelas autoridades de Cabo Delgado pelo facto de terem sido alegadamente frequentadas pelos homens armados que, a 5 de Outubro, abriram fogo contra unidades da polícia e postos de saúde em Mocímboa da Praia.

Só na cidade de Pemba, três mesquitas foram encerradas pelas autoridades de Cabo Delgado como nos explica Orfeu Lisboa, o nosso correspondente em Moçambique.

Correspondência de Moçambique

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.