Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Moçambique: Detidos ex-dirigentes da LAM por desvios

Linhas Aéreas de Moçambique.
Linhas Aéreas de Moçambique. site da LAM
Texto por: RFI
3 min

Três ex-dirigentes da LAM, a saber António Pinto, antigo presidente, o seu ex-administrador financeiro, Helder Fumo, e Mia Temporário, responsável pela entidade que gere a revista de bordo da companhia, Revista Índico, foram detidos na terça-feira por alegado envolvimento num caso de corrupção, que lesou as Linhas Aéreas de Moçambique em mais 50 milhões de meticais, o equivalente a 718 mil euros.

Publicidade

Nas últimas 48 horas a justiça moçambicana emitiu três mandados de captura internacional e deteve acusados de corrupção, dois antigos administradores e alguns colaboradores da empresa pública Linhas Aéreas de Moçambique - LAM - o que faz com que o ministério público nacional reivindique ganhos no combate à corrupção realça o Secretário-geral da Procuradoria-Geral da República, Agostinho Rututo.

Apesar destes ganhos, o ministério público exige que o poder legislativo aprove importantes instrumentos legais que favoreçam a sua actuação no combate ao crime tendo em conta que o Estado moçambicano foi lesado em largos milhares de euros os últimos 10 anos como resultado dos crimes de branqueamento de capitais e desvios de fundos do erário público.

Mais pormenores com o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Correspondência de Orfeu Lisboa

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.