Acesso ao principal conteúdo
Literatura/ José Saramago

O escritor José Saramago morre aos 87 anos

Texto por: RFI
2 min

O escritor português José Saramago, prêmio Nobel de Literatura em 1998, morreu nesta sexta-feira, aos 87 anos, em sua casa na ilha de Lançarote, localizada no arquipélago das Canárias, na Espanha. O anúncio foi feito pela editora do escritor,  Alfaguara.

Publicidade

José de Souza Saramago nasceu em 1922, em Azinhaga, um vilarejo ao sul de Portugal. Filho de camponeses, o escritor deveria ter o mesmo nome do seu pai, José de Souza. Foi o tabelião que acrescentou o apelido do chefe da família, Saramago, que é, na verdade, o nome de uma planta que servia de alimento para os camponeses em tempos difíceis.

Logo aos dois anos, José de Souza Saramago mudou-se para Lisboa, onde viveu grande parte de sua vida. Na capital portuguesa, trabalhou como mecânico, desenhista industrial, serralheiro, funcionário público, jornalista e tradutor. Saramago concluiu os estudos secundários em uma escola técnica, mas não chegou a cursar universidade.

Aos 25 anos, em 1947, Saramago lançou o seu primeiro livro, “Terra do Pecado”. Em seguida, começou a trabalhar fazendo traduções e só voltou a publicar um livro 19 anos depois, em 1966, chamado “Os Poemas Possíveis”. Entre suas obras mais famosas, estão “Levantado do Chão”, de 1980, "O evangelho segundo Jesus Cristo", de 91 e “Ensaio sobre a cegueira”, de 95, adaptado para o cinema em 2008, pelo diretor Fenando Meirelles.

O escritor português é conhecido por um estilo único, com frases e períodos extensos, que chegam a ocupar mais de uma página e são pontuados de maneira pouco convencional. Crítico da sociedade moderna, Saramago é, até hoje, o único escritor de língua portuguesa a ter ganho o prêmio Nobel de Literatura, em 98.

Mesmo aos 87 anos, Saramago não havia abandonado o prazer de escrever. Ele estava preparando um livro sobre a indústria do armamento. Em entrevista em novembro do ano passado, Saramago se perguntava: “porque não há greves dos trabalhadores que fabricam armas? Vivemos hoje em uma sociedade de violência, na qual a vida humana não tem importância alguma”. Suas obras já foram traduzidas para mais de vinte idiomas.

José Eduardo Agualusa, escritor angolano.

José Saramago, em entrevista ao jornalista Virgílio de Lemos, da RFI, em 1998.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.