Acesso ao principal conteúdo
Oriente Médio

Israel e Autoridade Palestina retomam negociações de paz

Mahmoud Abbas e Benjamin Netanyahu em Washington em 2 de setembro 2010.
Mahmoud Abbas e Benjamin Netanyahu em Washington em 2 de setembro 2010. REUTERS/Jason Reed
Texto por: RFI
3 min

Benjamin Netanyahu e Mahmoud Abbas iniciam segunda etapa do diálogo direto para um acordo de paz, no Egito. A colonização israelense na Cisjordânia ainda é um empecilho para o avanço das conversas.

Publicidade

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, começam nesta terça-feira uma nova rodada de negociações visando um acordo de paz no Oriente Médio, doze dias após a retomada do diálogo entre israelenses e palestinos em Washington. Desta vez, o encontro é realizado no balneário de Sharm el Sheikh, no Egito, com a presença da secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Segundo o jornal israelense Haaretz, Benjamin Netahyahu vai oferecer a Mahmoud Abbas um congelamento parcial das construções na Cisjordânia, semelhante ao adotado pelo ex-premiê Ehud Olmert.

As divergências quanto ao tema representam o primeiro grande obstáculo das recém-iniciadas conversas diretas de paz, uma vez que o governo direitista de Israel se recusa a atender à exigência palestina de suspender as construções em todos os assentamentos. A ideia do congelamento parcial é manter as construções em grandes blocos de assentamentos, que Israel pretende defender em um futuro acordo, e congelar as construções em colônias isoladas na Cisjordânia.

Na véspera do encontro, o clima de pessimismo e crise se reflete nas ruas e no próprio cancelamento das coletivas de imprensa que estavam previstas ao longo do dia.

A mídia israelense destaca a oposição interna que Netanyahu enfrentará caso decida mater a moratória, mesmo que de forma parcial. Ela já dura dez meses e o prazo expira em 26 de setembro.

Abbas, por sua vez, também deve ser duramente criticado pelo mundo árabe caso não consiga a garantia exigida.

Analistas em Israel acreditam que, mesmo um acordo entre as partes, comprometerá a duração do processo, uma vez que abre espaço para acusações mútuas sobre o fracasso do diálogo.

Além de Abbas e Netanyahu, o presidente egípcio Hosni Mubarak, o enviado especial para o Oriente Médio, George Mitchell, e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, também participarão do encontro.

Colaboração da correspondente da RFI em Tel-Aviv, Nathalia Watkins.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.