CHINA/Defesa

Governo da China eleva orçamento militar em 12,7%

Policial chinês de prontidão para a abertura da assembleia anual do parlamento chinês, no Palácio da Assembleia do Povo, em Pequim.
Policial chinês de prontidão para a abertura da assembleia anual do parlamento chinês, no Palácio da Assembleia do Povo, em Pequim. Reuters

A China anunciou nesta sexta-feira um aumento de quase 12,7% no orçamento da Defesa do país. Especialistas afirmam que ao elevar gastos para o equivalente a 65 bilhões de euros, em 2011, Pequim pretende afirmar sua posição no cenário geopolítico mundial e em setores de segurança diante de potências como os Estados Unidos, o Japão e a Rússia.

Publicidade

Durante o anúncio do aumento do orçamento da Defesa, feito às vésperas da sessão de abertura da Assembleia Nacional Popular, o porta-voz do parlamento chinês defendeu que o país sempre controla seus gastos considerados modestos comparados a outros países. Li Zhaoxing disse ainda que a China não representa ameaça para ninguém.

O regime chinês promove uma grande campanha de modernização de suas Forças Armadas, com muitos programas considerados emblemáticos como o caça-bombardeio J-20, que é visto como uma resposta ao caça F-22 Raptor da força aérea americana. O Exército chinês também desenvolve um míssel balístico que pode atingir a uma distância de milhares de quilômetros navios de guerra e também um ou vários porta-aviões.

A China afirma que em termos de tecnologia militar tem um atraso de até 30 anos em relação aos Estados Unidos. A modernização de suas Forças Armadas tem como único objetivo a defesa do país, afirmam as autoridades de Pequim. Mas Washington e Tóquio já manifestaram suas preocupações com as ambições militares da China.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI