Líbia/ confrontos

Kadafi continua ofensiva para retomar leste e ameaça a Europa

Forças leais ao ditador líbio Muammar Kadafi se retiraram do centro de Ras Lanuf.
Forças leais ao ditador líbio Muammar Kadafi se retiraram do centro de Ras Lanuf. Reuters

As forças fieis a Kadafi continuam tentando recuperar as cidades do leste do país sob controle dos insurgentes. Em Ras Lanuf, dois ataques aéreos foram registrados nesta sexta-feira, atingindo um posto de controle dos rebeldes e uma refinaria de petróleo.

Publicidade

A cidade tem sofrido ataques diários dos homens de Kadafi, que tentam retomar o controle de Ras Lanouf das mãos dos insurgentes.

Por volta do meio-dia, um avião de caça sobrevoou o local e jogou três bombas. A que atingiu a refinaria provocou, pela segunda vez na semana, uma gigantesca nuvem de fumaça. Meia hora depois, aconteceu o segundo ataque, desta vez ao posto de controle dos rebeldes, a 15 quilômetros da cidade. O lançamento da bomba, ocorrido em meio a um momento de confronto entre os apoiadores do regime e os insurgentes, não provocou vítimas. Já o balanço de mortos pelo confronto armado, que incluía artilharia pesada como foguetes, ainda não foi divulgado. Um médico de Brega, a 150 quilômetros do confronto, afirmou à agência AFP que os conflitos de ontem na região causaram ao menos 10 vítimas fatais, além de dezenas de feridos.

No lado oposto do país, a oeste, a principal refinaria de Zawiyah voltou a funcionar hoje, após ter sido obrigada a cessar as atividades por causa dos violentos confrontos entre os rebeldes e os apoiadores do regime. O anúncio foi feito pelo diretor da companhia nacional líbia de petróleo, Choukri Ghanem.
A refinaria é a maior responsável pelo abastecimento na capital, Trípoli, distante 50 quilômetros. A produção líbia de petróleo caiu em cerca de 80% desde o início dos protestos, na metade de fevereiro.

Kadafi ameaça Europa
Temendo uma intervenção na Líbia, Muammar Kadafi voltou a ameaçar os europeus com o fim da parceria na luta contra a imigração e o terrorismo. “Se a Europa não apoia e ignora o papel ativo da Líbia na luta contra a imigração, a Líbia será obrigada a retirar os seus esforços de luta contra o terrorismo e mudar completamente a sua política em relação à Al-Qaeda”, disse, em Trípoli.
Em Benghazi, principal reduto da oposição, 10 mil pessoas realizaram uma manifestação para pedir a partida do ditador. Uma enorme bandeira da França foi erguida na praça central da cidade e os manifestaram agradeceram o presidente Nicolas Sarkozy por por ter reconhecido o Conselho Nacional de Transição como representante legítimo da Líbia.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI