Líbia/guerra

Liga Árabe pede à ONU criação de zona de exclusão aérea na Líbia

A cidade de Zaouïa, no oeste de Tripoli, foi retomada pelas forças de Kadhafi
A cidade de Zaouïa, no oeste de Tripoli, foi retomada pelas forças de Kadhafi Reuters

Os representantes da Liga Arabe, reunidos em cárater de urgência no Cairo, se disseram favoráveis à uma zona de exclusão aérea e de contatos com o Conselho Nacional de Transição. A Liga é favorável à imposição uma área no fly pela ONU para neutralizar os aviões de Kadafi.  

Publicidade

Nesta sexta-feira, a União Europeia e os Estados Unidos insistiram na possibilidade de utilizar todas as opções contra o regime de Kadhafi. A União Europeia, entretanto, condiciona sua ação à "uma necessidade clara, demonstrada, com base jurídica, e apoio da região." A França, primeiro país a reconhecer oficialmente o Conselho Nacional de Transição, não descarta uma intervenção independentemente de uma decisão da ONU. O presidente Nicolas Sarkozy condicionou qualquer ação, entretanto, "às agressões massivas à população civil."

A posição francesa surpreendeu a comunidade ocidental. O chanceler Alain Juppé, recém-empossado, participava da Cúpula em Bruxelas para discutir a situação no país, quando Sarkozy decidiu reconhecer a oposição líbia como o único representante legítimo da população. Nesta sexta-feira, a Líbia suspendeu as relações diplomáticas com a França, anunciou o ministro das relações exteriores, Khaled Kaïm.

Bombardeios se intensificam

As forças de Kadhafi continuaram a bombardear o leste do país neste sábado. Os militares intensificaram a ofensiva em Misrata, a 200 quilômetros de Trípoli. "Nos preparamos para um massacre", declarou Mohammad Ahmed, combatente rebelde. Segundo ele, os militares invadiram a cidade com tanques de guerra e armas pesadas.

Nesta sexta-feira, em Ras Lanouf, porto petrolífero situado no golfo de Syrte, os ataques das forças de Kadafi obrigaram os rebeldes a recuarem a 20 quilômetros da cidade. De acordo com um representante dos rebeldes, Bachir Aboudl Qadr, os ataques atingiram uma refinaria, e temendo uma explosão, os opositores bateram em retirada. Segundo Aboudl Qadr, as últimas ofensivas terrestres, aéreas e marítimas das forças de Kadafi para retomar Ras Lanouf vão provocar a explosão da refinaria no máximo em cinco dias.

No fim da tarde, as forças de Kadhafi, que agora avançam em direção ao leste do país, comemoravam a vitória em Ras Lanouf. Segundo o governo líbio, os militares já retomaram o controle de 90% do país. O objetivo é retomar Benghazi, reduto do movimento de contestação.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI