Líbia

Repórter de jornal britânico libertado na Líbia

Confrontos entre as Forças de Kadafi e os rebeldes na cidade de Ras Lanuf, a leste de Trípoli
Confrontos entre as Forças de Kadafi e os rebeldes na cidade de Ras Lanuf, a leste de Trípoli Reuters

O jornalista iraquiano Ghaith Adbul-Ahad, do jornal britânico The Guardian, foi libertado nesta quarta-feira, depois de ter sido preso e mantido em cativeiro desde o dia 2 de março, por forças leais ao general Muammar Khadafi. Ele estava junto com o repórter brasileiro Andrei Netto, do jornal O Estado de S.Paulo e colaborador da Rádio França Internacional. Netto foi solto no último dia 10.

Publicidade

O anúncio da libertação de Abdul-Ahad foi feito na rede social Tweeter, pelo editor-chefe do jornal britânico, Alan Rusbridger. O tweet dizia “Ghait Abdul-ahad, do Guardian, foi solto e deixou a Líbia em segurança. Muito obrigado por todos que ajudaram”.

Os dois jornalistas foram detidos por forças leais ao líder líbio na região de Zawiyah, a oeste de Trípoli. Depois de libertado, Andrei Netto, 34 anos, relatou que foi agredido fisicamente uma vez, mas também sofreu psicologicamente com o isolamento em cativeiro.

Um porta-voz do Guardian confirmou a notícia, mas nao deu mais detalhes. Ghaith Abdul-Ahad trabalha desde 2004 para o jornal, para o qual cobriu os conflitos da Somália, Sudão, Iraque e Afeganistão.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI