União Europeia/Líbia

UE alerta para êxodo em massa da Líbia

Um ferry com 1.800 marroquinos  vindos da Líbia foi impedido de entrar na Itália no dia 15 de março.
Um ferry com 1.800 marroquinos vindos da Líbia foi impedido de entrar na Itália no dia 15 de março. Reuters

Nesta quinta-feira, a União Europeia fez uma advertência à comunidade internacional para que se prepare para a chegada em massa de líbios, inclusive pelo mar, diante do rápido avanço das forças de Kadhafi rumo à Benghazi, berço da rebelião.  

Publicidade

A comissária europeia para ajuda humanitária, Kristalina Georgieva, declarou que todos os países da comunidade internacional devem estar preparados para o pior, ou seja,um êxodo em massa de refugiados e vítimas da contra ofensiva do coronel Muammar Kadhafi.

Até o momento, a maioria das pessoas que fugiram da Líbia eram trabalhadores estrangeiros tentando voltar para seus países. Agora, o número de líbios que se apresentam nas fronteiras da Tunísia é cada vez maior. A comissária observa que as condições em Benghazi vêm mudando de maneira significativa e que o bloco questiona se deve ou não retirar as pessoas das áreas onde os combates acontecem. "Está claro que Benghazi está ameaçada pelas forças de Kadhafi", disse Georgieva, anunciando que está pronta para elevar o nível de ajuda aos refugiados da Líbia. Para isso, os europeus pedem às autoridades do Egito que deixem os fugitivos atravessarem a fronteira.

Desde 20 de fevereiro passado, cerca de 280 mil pessoas fugiram da violência da Líbia, segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados. De todos os países europeus, a Itália é o que mais se preocupa com um novo fluxo de imigrantes, já que sua ilha de Lampedusa, no sul da Sicília, fica próxima ao continente africano.

 
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI