Japão/Nuclear

Governo alerta sobre contaminação de alimentos perto da central de Fukushima

Canhão d'água tenta resfriar reator 3 de Fukushima, neste sábado, dia 18.
Canhão d'água tenta resfriar reator 3 de Fukushima, neste sábado, dia 18. Reuters/TV

O governo japonês lançou um alerta neste sábado sobre a contaminação de leite, água e espinafre nas proximidades da central de Fukushima, onde continuam os esforços para evitar uma catástrofe nuclear de grandes proporções. Um tremor de magnitude 6.1 foi registrado em Ibaraki, noroeste de Tóquio, neste sábado.

Publicidade

Índices anormais de radioatividade foram detectados no leite e espinafre vindos da região nordeste, assim como na água encanada de Tóquio e arredores, informou o governo. No entanto, em relação ao leite e o espinafre, segundo o porta-voz Yukio Edano, esses níveis “não apresentam riscos imediatos para a saúde”. Edano também fez um apelo para que a população permanecesse calma. Já quanto a água, as doses de iodo radioativo e de césio são inferiores ao limite legal, precisou o ministério da Energia.

Enquanto isso, em Fukushima, tiveram continuidade no sábado os esforços para tentar restabelecer a alimentação elétrica para os seis reatores afetados pelo terremoto e tsumani do último dia 11. A operação é fundamental para reativar as bombas que fornecem água para o sistema de resfriamento dos reatores e que enchem as piscinas onde é depositado o combustível utilizado. Mas a equipe de engenheiros e especialistas não conseguiram alimentar um dos reatores, como esperavam. A operação será retomada no domingo.

O último levantamento oficial de vítimas aponta para 7.320 mortos e 11.300 desaparecidos. Cerca de 400 mil pessoas estão vivendo em abrigos, vários deles com problemas sanitários, elétricos e falta de água corrente. A temperatura subiu um pouco no sábado, mas chuva e neve estão previstas para o domingo.

Novo abalo

Um forte abalo foi registrado neste sábado em Ibaraki, ao sul da usina de Fukushima. O tremor foi sentido em Tóquio, mas sem registros de danos por enquanto, segundo a TV estatal NHK. O trafego no aeroporto de Narita, em Tóquio, foi brevemente suspenso para verificação de segurança, sendo retomado em seguida, informou ainda a NHK. O epicentro do terremoto, de força 6.1, segundo a agência meteorológica do Japão, foi a quase 100km ao sul de Fukushima, e a 142km ao norte de Tóquio.

A França já retirou 977 cidadãos desde a última quinta-feira do território japonês. Para a Autoridade de Segurança Nuclear da França, a situação de Fukushima está um pouco mais estabilizada, mas continua precária. Jean-Christophe Niel, diretor do órgão, declarou neste sábado em Paris que a prioridade agora é retomar controle da usina, “o que claramente ainda não é o caso”.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI