Síria/ protestos

Pelo menos cinco morrem em protestos contra o governo sírio

Funeral de um jovem morto durante uma manifestação contra o regime sírio.
Funeral de um jovem morto durante uma manifestação contra o regime sírio. Reuters

Pelo menos cinco pessoas morreram nesta quarta-feira em Dera, no sul da Síria, onde manifestações sem precedentes contra o regime vem sendo reprimidas com violência pelo governo. Um médico, uma enfermeira e o motorista de uma ambulância estão entre as vítimas.

Publicidade

Os protestos se iniciaram no dia 15 de março e o governo acusa a influência estrangeira de estar por trás das manifestações, causadas por “ganhues armadas”, segundo as autoridades sírias.

Hoje, a televisão estatal mostrou imagens de um estoque de armas na mesquita de Al-Omri, que se transformou no principal ponto de encontro dos manifestantes da cidade, a 100 quilômetros da capital, Damas.

Um militantes de direitos humanos afirmou que os confrontos na madrugada de hoje deixarram dezenas de feridos, já que a polícia estava reprimindo os protestos com balas reais. Desde sexta-feira, 11 pessoas já morreram nestas circunstâncias em Dera.

Como nos outros países árabes, o movimento popular na Síria clamando democracia organiza-se também pela internet, através da rede social Facebook. Uma página no site, nomeada “Revolução síria contra Bachar al-Assad 2011”, pede “uma Síria sem tirania, sem lei de urgência (desde 1963) nem tribunais de exceção”.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI