Acesso ao principal conteúdo
Dominique Strauss-Kahn

Strauss-Kahn passa noite em prisão de 14 mil detentos em Nova York

Dominique Strauss-Kahn foi transferido para o maior estabelecimento penitenciário do Estado de Nova York.
Dominique Strauss-Kahn foi transferido para o maior estabelecimento penitenciário do Estado de Nova York. Reuters
Texto por: RFI
2 min

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, Dominique Strauss-Kahn, passou a noite na prisão de Rikers Island, em Nova York, onde estão 14 mil prisioneiros. Na segunda-feira, uma juíza recusou o pedido de liberdade sob fiança de um milhão de dólares para DSK, alegando que ele poderia fugir dos EUA.

Publicidade

Ele foi instalado em uma cela individual na menor unidade do centro de detenção do complexo penitenciário, reservada a prisioneiros com doenças transmissíveis. Strauss-Kahn terá direito a três visitas por semana. A mulher de DSK, a jornalista Anne Sinclair, viajou ontem a Nova York para dar apoio ao marido.

Os advogados de Strauss-Kahn deverão entrar com novo pedido de habeas corpus nos próximos dias. Ontem, o tribunal de Nova York recusou o pedido de pagamento de fiança de um milhão de dólares para colocá-lo em liberdade. A juíza Melissa Jackson alegou que ele poderia fugir dos Estados Unidos. Um outro caso de abuso sexual atribuído ao diretor-gerente do FMI foi mencionado, sem detalhes.

Strauss-Kahn deverá comparecer na próxima sexta-feira diante de um júri popular definido pela justiça para saber se será julgado por diversos crimes, entre eles o de agressão sexual e tentativa de estupro. Ontem à noite, o Fundo Monetário Internacional teve uma reunião informal de urgência para discutir as consequências da prisão do número 1 da instituição.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.