Acesso ao principal conteúdo
Afeganistão/ Canadá

Canadá encerra oficialmente missão no Afeganistão

Cerimônia marcou o encerramento da missão canadense.
Cerimônia marcou o encerramento da missão canadense. Reuters
Texto por: RFI
3 min

O Canadá terminou oficialmente hoje sua missão de combates no Afeganistão, onde ainda tinha 3 mil soldados. Desde 2002, quando ingressou na coalizão que invadiu o país para combater o terrorismo, 157 militares canadenses perderam a vida e 11 bilhões de dólares foram gastos em operações.

Publicidade

Em uma cerimônia em uma base aérea de Kandahar, principal cidade do sul do país – e também uma das mais violentas –, o chefe das forças operacionais canadenses, general Dean Milner, transmitiu o comando das zonas que eram de sua responsabilidade para o Exército americano.

“Embora ainda reste trabalho, nós somos extremamente orgulhosos do que fizemos”, declarou. A maioria dos 3 mil soldados já deixou o país e os cerca de 350 que sobraram retornarão no máximo até o final do ano ao Canadá. A decisão de dar um fim à missão havia sido tomada em 2008.

Cerca de 950 instrutores militares canadenses permanecerão, entretanto, no Afeganistão. Eles vão treinar o Exército afegão no norte do país.

Operação da Otan mata civis

Pelo menos 13 civis foram mortos nesta quinta-feira em bombardeios aéreos da Otan no Afeganistão, em uma casa a oeste do país. A organização militar internacional admitiu ter a morte “não intencional” de membros da família de insurgentes afegãos, que eram o alvo da operação.

O governo da província afegã foi até o local para constatar os fatos e disse que oito mulheres, quatro crianças e um homem estão entre as vítimas. Os corpos do comandante da rede Haqqani, o principal grupo insurgente talibã na região, e três de seus militantes também foram encontrados.

De acordo com a Otan, os bombardeios foram necessários após os talibãs começarem a reagir a um ataque por terra, com fuzis e morteiros. Em represália ao “incidente” – como a Otan se referiu às mortes dos civis –, manifestantes bloquearam a estrada que liga a capital da província à Cabul, capital do Afeganistão.

Somente no ano passado, mais de 2,7 mil civis afegãos foram mortos pela Otan, que atribui as mortes aos insurgentes que enfrentam as forças ocidentais no país.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.