Acesso ao principal conteúdo
Líbia/AIEA

AIEA pede à Líbia urgência para transferir material nuclear

O material denominado “yellow cake” é utilizado para a fabricação de combustível nuclear e pode ser enriquecido para a produção de armas nucleares.
O material denominado “yellow cake” é utilizado para a fabricação de combustível nuclear e pode ser enriquecido para a produção de armas nucleares. United States Department of Energy
Texto por: RFI
2 min

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) pediu, nesta quinta-feira, à Líbia que encontre com urgência um local para estocar o concentrado de urânio descoberto durante os confrontos que culminaram na derrubada do regime do ditador Muammar Kadafi, morto em outubro passado.  

Publicidade

Embora Kadafi tenha garantido em 2003 ter abandonado seu projeto de construção de uma bomba atômica, 6.400 barris de material nuclear foram encontrados na Líbia. No dia 9 de dezembro, especialistas da AIEA encerraram uma visita a dois centros de pesquisa nuclear, um na capital Trípoli e o segundo na zona militar de Sabha.

Os agentes assinalaram nesta quinta-feira que as condições de armazenamento se deterioram e a segurança é insuficientes nos locais atualmente. Eles pedem que o novo governo líbio haja rapidamente para vender ou transferir o concentrado de urânio, que precisa ser estocado em um lugar seguro.

O material denominado “yellow cake” é utilizado para a fabricação de combustível nuclear e pode ser enriquecido para a produção de armas nucleares.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.