Mianmar/Eleições

Nobel da Paz é eleita deputada em Mianmar, diz partido de oposição

Aung San Suu Kyi é acompanhada por partidários em zona de voto.
Aung San Suu Kyi é acompanhada por partidários em zona de voto. AFP PHOTO/Christophe ARCHAMBAULT

Prêmio Nobel da Paz em 1991 e símbolo do movimento democrático em Mianmar, ex-Birmânia, a oposicionista Aung San Suu Kyi obteve uma cadeira no Parlamento nas eleições legislativas deste domingo, de acordo com seu partido. Este resultado pode ajudar a convencer o Ocidente a diminuir as sanções contra o país.

Publicidade

A vitória de Aung San Suu Kyi como deputada com 82% dos votos contra dois outros candidatos no Distrito de Kawhmu, no sul de Rangoun, foi anunciada pelo seu partido de oposição, a Liga Nacional pela Democracia (LND). O resultado oficial da eleição ainda não foi confirmado pela comissão eleitoral, o que só deve acontecer dentro de alguns dias.

Foram escolhidos deputados para 45 das 664 cadeiras do Parlamento, o que não deve resultar em uma grande mudança no equilíbrio de poder do novo governo civil.

Este será o primeiro cargo público de Suu Kyi, que passou 15 anos na prisão, de 1989 a 2010. Carismática e muito popular em Mianmar, sua eleição dá credibilidade ao pleito legislativo. Entre suas prioridades, ela prometeu acabar com as insurreições étnicas, acelerar reformas e criar emendas à Constituição de 2008, que ainda guarda resquícios do governo militar.

Dois dias antes das eleições, Aung San Suu Kyi acusou seus adversários de realizar "atos de intimidação" e de vandalizar seus cartazes de campanha.

Sanções

Os Estados Unidos e a União Europeia informaram que as sanções econômicas impostas há anos contra o país devido a violações dos direitos humanos poderiam ser aliviadas caso o pleito deste domingo fosse livre e sem fraudes.

Após quase meio século de ditadura militar, o país do sudeste asiático iniciou sua transição democrática há um ano. O novo governo surpreendeu observadores internacionais com o ritmo de abertura política e econômica. Centenas de prisioneiros foram libertados e a censura foi amenizada.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI