Acesso ao principal conteúdo
Crime/Canadá

Polícia internacional prendre esquartejador canadense em Berlim

Luka Rocco Magnotta, em uma das poucas imagens divulgadas pela polícia canadense.
Luka Rocco Magnotta, em uma das poucas imagens divulgadas pela polícia canadense. Reuters
Texto por: RFI
2 min

As investigações sobre Luka Rocco Magnotta estão “longe de terminadas”, segundo a polícia de Montreal, em referência a antigos casos que podem ser reabertos. O ex-ator pornográfico, acusado de matar e esquartejar um estudante chinês no Canadá, foi preso nesta segunda-feira, em Berlim, depois de ter passado por Paris.

Publicidade

“Vocês me pegaram”, declarou Magnotta sem oferecer resistência aos policiais que o prenderam em uma lan house de Berlim nesta segunda-feira.

A Interpol elogiou a cooperação internacional que levou à prisão de Magnotta, que deixou o Canadá no dia 26, em direção a Paris. Ele foi filmado por câmeras de segurança de uma rodoviária deixando a capital francesa em um ônibus em direção a Berlim, na última quinta-feira.

O canadense vinha sendo perseguido desde 1° de junho, quando a Interpol divulgou um pedido de busca internacional. O ex-ator de filmes pornográficos, que também era conhecido como Eric Clinton Newman e Vladimir Romanov, teria assassinado Jun Lin, de 32 anos, na noite de 24 de maio. A vítima teve seu corpo cortado em pedaços e o ritual teria sido filmado para que as imagens fossem divulgadas na internet.

Magnotta deixou o Canadá em 26 de maio. A polícia francesa descobriu rastros de sua passagem por Paris no último fim de semana. Ele teria passado duas noites em um pequeno hotel na capital antes de se hospedar na periferia de Paris, de onde deixou o país de ônibus.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.