Síria/crise

Ministro da Defesa e cunhado do presidente da Síria são mortos em atentado

Ministro da Defesa Sírio morto num atentado no centro de Damasco
Ministro da Defesa Sírio morto num atentado no centro de Damasco AFP PHOTO/HO/SANA

Um atentado com explosivos na manhã de hoje contra a sede dos serviços de segurança sírios, na capital do país, Damasco, deixou várias autoridades feridas. A TV estatal síria informou que o ministro da Defesa, general Daoud Rajha, morreu no ataque, além do cunhado do presidente.

Publicidade

O atentado-suicida, reivindicado pelos rebeldes, foi realizado por um kamikaze, munido de um cinto com explosivos.  Segundo a agência Reuters, o  kamikaze seria um guarda-costas, próximo ao líder sírio. Daoud Rajha, ministro da Defesa foi morto na explosão, além do seu vice-ministro e cunhado do presidente Bachar al-Assad, Assef Shawkat. Ele estava no ministério desde 2005. Outra vítima fatal é o chefe da célula de crise da Síria, considerado um braço direito do presidente. O ministro do Interior, Mohammad Ibrahim al-Chaar, e o general Hicham Ikhtiar, que dirige a Segurança Nacional, também feridos na explosão, foram levados para o hospital. Ikhtiar faz parte das pessoas sancionadas pela União Européia e já tinha sido visado por um outro atentado em maio de 2011.

"Isso significa que o regime esta perdendo o controle" (Samir Al Shami, líder da União da juventude síria)

Esse atentado significa que os rebeldes começam a atacar o prinicipal centro de resistência do regime de Bachar al-Assad. A batalha pela liberação de Damasco, lançada no último domingo pelos rebeldes, se intensifica no centro da capital. O Exército da Síria utiliza helicópteros para atacar posições rebeldes na capital.

De acordo com a televisão estatal, outros ministros e responsáveis do alto escalão da segurança da Síria foram feridos no ataque.  O ministro da Defesa, Daoud Rajha e outras autoridades estavam reunidos no prédio da Segurança Nacional da cidade,  considerado de segurança máxima e situado no bairro de Rawda, centro da capital.

O regime do presidente Bashar al-Assad imediatamente reagiu ao ataque e se diz determinado a "fazer uma limpeza " no país contra os terroristas. Fahd Al-Freij foi nomeado novo ministro da Defesa. O emissário especial da ONU para a crise síria, Kofi annan pediu o adiamento da votação na ONU, prevista para esta quarta-feira, sobre uma possível resolução dos ocidentais contra o governo da Síria. A Rússia declarou que não permitirá a adoção de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU. Segundo Moscou, a decisão poderia significar que a ONU apóia a revolução na Síria.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI