Paquistão/Atentado

Atentado em procissão mata pelo menos oito pessoas no Paquistão

Polícia reforça segurança nas ruas do Paquistão após atentado em Dera Ismaïl Khan nesse sábado.
Polícia reforça segurança nas ruas do Paquistão após atentado em Dera Ismaïl Khan nesse sábado. REUTERS/Fayaz Aziz

A explosão de uma bomba fez pelo menos oito mortos e deixou dezenas de feridos nesse sábado no noroeste do Paquistão. O atentado ocorreu na beira de uma estrada, durante a passagem de uma procissão da minoria muçulmana xiita do país. Os talibãs paquistaneses reivindicaram o ataque. Por medida de segurança, as autoridades locais suspenderam os serviços de telefonia celular nas grandes cidades.

Publicidade

O atentado ocorreu pela manhã em Dera Ismaïl Khan, na província de Khyber Pakhtunkhwa, no noroeste do Paquistão. A região, próxima da fronteira com o Afeganistão, é uma zona tribal conhecida pela forte presença de talibãs e grupos ligados à Al Qaeda.

A bomba, que pesava cerca de dez quilos, foi colocada em um cesto de lixo na beira da estrada, e explodiu quando a procissão passava. O cortejo celebrava a Ashura, uma das principais datas do calendário da minoria xiita. De acordo com a polícia local, a deflagração pôde ser ouvida a quilômetros de distância. “Houve oito mortos, entre eles quatro crianças e cerca de trinta feridos”, informou o médico Aziz Baluch, do hospital local. Segundo ele, o estado de saúde de quatro dos feridos é crítico.

O movimento dos talibãs paquistaneses TTP (Tehreek-e-Taliban Pakistan) reivindicou o atentado. O grupo persegue a minoria xiita do Paquistão, que representa menos de 20% da população daquele país de maioria muçulmana. “Nós temos entre 20 e 25 kamikazes prontos para explodir bombas e cometer operações suicida. O governo pode fazer o que quiser, mas não vai conseguir parar os ataques”, declarou o porta-voz do TTP, Ehsanullah Ehsan, após assumir a responsabilidade pelo episódio desse sábado.

O grupo já reivindicou vários outros atentados realizados essa semana no Paquistão, inclusive os dois ataques que fizeram 25 mortos em Karachi e Rawalpindi. Para tentar impedir novos incidentes, as autoridades paquistanesas suspenderam temporariamente todos os serviços de telefonia celular nas grandes cidades do país, já que os aparelhos são frequentemente usados para acionar as bombas à distância. A segurança também foi reforçada nas demais procissões previstas para esse fim de semana. Mais de 300 xiitas já foram mortos em atentados no Paquistão desde o começo do ano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI