Arafat/Cisjordânia

Corpo de Arafat será exumado nesta terça-feira

Yasser Arafat morreu em novembro de 2004. Sob suspeitas de envenenamento,  morte nunca foi esclarecida.
Yasser Arafat morreu em novembro de 2004. Sob suspeitas de envenenamento, morte nunca foi esclarecida. REUTERS/Magnus Johansson

Começa nesta terça em Ramallah, na Cisjordânia, a exumação do corpo do ex-líder palestino, Yasser Arafat, na presença de investigadores franceses, suíços e russos. O anúncio foi feito pelo presidente da comissão de investigação palestina, Taoufiq Tiraoui. Arafat está enterrado na Moqata. A exumação faz parte do processo que investiga se o ex-líder palestino, morto em 2004, em Paris, foi envenenado.  

Publicidade

A exumação está causando um grande debate entre os próximos do ex-líder e a população palestina.A investigação sobre a morte de Yasser Arafat ainda é carregada de mistério, de teorias de complô e de rivalidades familiares.

Os investigadores chegaram na noite deste domingo e assistirão à exumação de Arafat, cujo corpo está enterrado no mausoléu de Moqata, sede da presidência da Autoridade Palestina na Cisjordânia. Segundo Taoufiq Tiraoui, o presidente da comissão de investigação, a operação será realizada ao abrigo das câmeras e dos jornalistas, atrás de proteções de plástico, instaladas há duas semanas. "Os investigadores realizarão as coletas necessárias e tudo será feito em poucas horas", afirmou Tiraoui, que lembrou que uma cerimônia oficial de funeral será celebrada ao fim da exumação. "Yasser Arafat será enterrado novamente, seguindo o protocolo e os rituais religiosos. Temos que respeitar o que é considerado como símbolo para o povo palestino e para o mundo inteiro", concluiu Tiraoui. O material coletado será enviado para o países dos investigadores presentes na exumação.

As causas da exumação

Yasser Arafat morreu com 75 anos, no dia 11 de novembro de 2004, em um hospital militar no subúrbio de Paris, onde ele foi transferido, com o consentimento dos israelenses, que o mantiveram em prisão domiciliar durante dois anos. Nenhuma causa real da morte foi divulgada. Os palestinos acusam Israel de terem envenenado o ex-líder. Mas, fontes palestinas também desconfiam que a morte teria sido provocada por grupos da região, interessados pelo poder deixado por Arafat.

A tese de envenenamento foi evocada depois que a tevê catariana Al-Jazeera publicou, em julho, uma reportagem que revelava quantidades anormais da substância radioativa polônio, nos pertences pessoais de Arafat. Após a morte do ex-líder palestino, os pertences foram entregues à viúva, que prestou queixa na justiça francesa, por assassinato, o que justificou a abertura de uma investigação e a exumação do corpo de Yasser Arafat.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI