Síria/Violência

Dois atentados deixam mais de 50 mortos na periferia de Damasco

Dois atentados com carros-bomba mataram quase 40 pessoas na perifeira de Damasco
Dois atentados com carros-bomba mataram quase 40 pessoas na perifeira de Damasco REUTERS/Sana

Um duplo atentado em uma cidade na perifeira sul de Damasco deixou mais de 50 mortos e 120 feridos nesta quarta-feira. No noroeste do país, os rebeldes conseguiram, pela segunda vez em menos de 24 horas, derrubar um avião do exército fiel ao presidente Bashar al-Assad. Um dos pilotos teria sido capturado pelos opositores.

Publicidade

O Observatório sírio dos direitos humanos (OSDH), que se baseia em uma vasta rede de militantes e médicos na Síria, afirma que os dois atentados com carros-bomba desta manhã deixaram ao menos 54 mortos e 120 feridos em Jaramana, onde a maioria da população é favorável ao presidente Bashar al-Assad. Os rebeldes formaram um cinturão em torno dessa localidade e tentam tomar o controle da cidade.

Segundo um balanço provisório do ministério do Interior, 34 pessoas foram mortas e 83 feridas em "dois atentados terroristas" na praça principal. Restos de corpos não identificados foram recolhidos em dez sacos. A agência oficial síria declarou que os ataques foram praticados por terroristas, termo que tem sido utilizado pelo regime para falar do Exército Sírio Livre e de grupos armados que lutam pela queda do presidente Assad.

Os dois ataques aconteceram simultaneamente por volta das 6h30 no horário local. Uma das explosões aconteceu perto de um posto de gasolina. A fachada de um prédio e dezenas de carros ficaram muito danificados e pedaços de carne humana eram visíveis no chão.

Os atentados ainda não foram reivindicados, mas o modo como foram praticados é semelhante aos ataques cometidos por grupos de fundamentalistas islâmicos como a Al-Qaida. A cidade de Jaramana foi palco de vários atentados nos últimos meses.

Aviões derrubados com mísseis

Os rebeldes derrubaram em menos de 24 horas dois aviões do exército utilizando pela primeira vez mísseis, segundo o OSDH. Na manhã desta quarta-feira eles provocaram a queda de um caça no noroeste do país e um dos pilotos teria sido capturado. Na terça-feira os rebeldes já haviam derrubado um helicóptero perto da cidade de Aleppo, no norte da Síria.

De acordo com a ong, os rebeldes conseguiram obter dezenas de mísseis. Um dos chefes militares da rebelião, o general Ahmad Faj, declarou na semana passada que os opositores haviam recuperado mísseis durante a tomada da base 46 (noroeste). A aquisição desses mísseis pode mudar os rumos da guerra, pois os rebeldes ameaçam agora a supremacia aérea do exército. Por sua vez, as tropas do regime intensificaram os ataques aéreos no norte e no centro.

Na vizinha Turquia, especialistas da Otan começaram um giro para inspecionar os locais próximos à fronteira com a Síria onde poderiam ser instalados os mísseis Patriot pedidos pelo governo turco para garantir a segurança do território caso o conflito sírio se alastre pela região.

A coalizão nacional síria, novo organismo representativo da oposição, faz nesta quarta-feira sua primeira reunião oficial no Cairo, para discutir a formação de um futuro governo provisório.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI