Acesso ao principal conteúdo
Israel/Palestina

Palestinos vão ao Conselho de Segurança contra colônia israelense

Uma bandeira israelense fincada na zona E1, onde o governo judaico pretende construir novas casas.
Uma bandeira israelense fincada na zona E1, onde o governo judaico pretende construir novas casas. (Photo : C. Monnet/RFI)
Texto por: RFI
2 min

Os dirigentes palestinos anunciaram nesta segunda-feira que vão recorrer ao Conselho de Segurança da ONU contra a construção de 1500 novas casas de colonos em Ramat Shlomo, bairro de Jerusalém Oriental. A declaração foi feita pelo porta-voz do presidente da Autoridade Palestina, Nabil Abou Roudeina, em visita oficial a Roma. O projeto condenado pelos Estados Unidos em 2010 recebeu o sinal verde do ministro israelense do Interior na mesma data.

Publicidade

Há dois anos, o projeto provocou uma crise diplomática entre Israel e os Estados Unidos, seu tradicional aliado, após a visita do vice-presidente americano, Joe Biden, ao local. Com as novas construções, a colônia de Maalé Adoumim passaria a se conectar com bairros de colonização judaica em Jerusalém Oriental, cortando a Cisjordânia em dois e isolando Jerusalém Oriental, o que compromete a viabilidade de um futuro Estado palestino.

A retomada da ampliação dessa colônia israelense em território palestino se insere no pacote de represálias anunciadas pelo governo de Israel, após a elevação do status da Palestina a “Estado não membro” nas Nações Unidas, por esmagadora maioria. O Estado judaico pretende construir ao todo 3 mil novas casas em colônias situadas na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental e congelar o repasse de 100 milhões de dólares em impostos à Autoridade Palestina. O valor corresponde a metade do orçamento da organização.

O reconhecimento da Palestina como "Estado observador" permite agora que ela acione o Conselho de Segurança sobre seu conflito com Israel e peça sanções internacionais e mesmo uma intervenção militar na região. Passa a ser acessível também um recurso contra a invasão de um Estado, e não mais um território, no principal instrumento jurídico da ONU, a Corte Penal Internacional.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.