Coreia do Norte/Conflito

Em nova ameaça, Coreia do Norte diz que está em guerra com sul-coreanos

Os norte-coreanos renovaram as ameaças contra a Coreia do Sul neste sábado
Os norte-coreanos renovaram as ameaças contra a Coreia do Sul neste sábado

Diante da ameaça do governo norte-coreano neste sábado (30), que disse estar em estado de guerra com a Coreia do Sul e pronto para atacar o país e os Estados Unidos, diversos países, entre eles a França e a Alemanha, se disseram preocupados, pedindo que o país não fizesse novas provocações. O governo americano declarou que levava as ameaças dos norte-coreanos  “a sério.”

Publicidade

A Coreia do Norte anunciou neste sábado que está em "estado de guerra com o sul", uma nova ameaça "levada a sério" pelos Estados Unidos, a Alemanha e a França, mas que foi minimizada pelos sul-coreanos. Em um comunicado distribuído a todas as embaixadas, os norte-coreanos informaram que todas as questões tratadas entre os dois países "serão inseridas em um protocolo adotado em tempos de guerra." Segundo os norte-coreanos, não há mais uma situação intermediária entre guerra e paz. O comunicado foi divulgado pela KNCA, a agência oficial do país.

A porta-voz do Conselho Nacional de segurança americano, Caitlin Hayden , ressaltou que o tom das ameaças é conhecido. "É importante notar que a Coreia do Norte tem uma longa história de retórica bélica e de ameaças, e o anúncio de hoje segue um esquema que nos é familiar." Ela ainda acrescentou que os Estados Unidos "eram perfeitamente capazes de se proteger e proteger seus aliados." A porta-voz também anunciou que adotará medidas suplementares contra a ameça norte-coreana, entre elas o aumento do número de aviões em solo americano capazes de interceptar possíveis ataques e de radares preventivos.

A França e Alemanha reagiram imediatamente às ameaças norte-coreanas. O chanceler alemão, Guido Westerwelle, fez uma apelo para que a Coreia do Norte coloque um fim a esse "jogo irresponsável." Segundo ele, "as declarações ameaçam seriamente a paz na região”, se dizendo preocupado com a situação.” A França, através do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Philippe Lalliot, também pediu que o país não fizesse novas provocações, e que respeitasse as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, retomando o diálogo com a comunidade internacional.A Rússia também pediu calma e também divulgou um comunicado neste sábado, “desaprovando qualquer declaração ou iniciativa que de um jeito, ou de outro, leve a um aumento da tensão.”

Pyongyang também ameaçou neste sábado fechar o complexo industrial de Kaesog, uma zona de cooperação econômica e industrial entre os dois países. Inaugurada em 2004, a area foi inaugurada em 2004 com o objetivo de estabelecer a cooperação entre os dois países. As duas Coreias estão tecnicamente em guerra desde os anos 50, já que conflito entre 1950 e 1953 terminou com assinatura de um armistício, e não um tratado de paz.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI