Acesso ao principal conteúdo
Bangladesh/Tragédia

Bangladesh encerra buscas por vítimas em prédio que desabou

Fim da operação de resgate nos escombros do prédio que desabou em Bangladesh.
Fim da operação de resgate nos escombros do prédio que desabou em Bangladesh. REUTERS/Andrew Biraj
Texto por: RFI
1 min

O exército de Bangladesh encerrou oficialmente nesta terça-feira, 14 de maio de 2013, as operações de resgate nas ruínas do prédio de ateliês de confecção que desabou há três semanas. Mas dezenas de pessoas continuam no local pedindo notícias de seus familiares desaparecidos na tragédia.

Publicidade

Segundo os militares, que dirigiram as buscas, não existe mais nenhum chance de encontrar novos corpos nos destroços do prédio em Savar, a 30 quilômetros da capital Daca. Cerca de 100 pessoas continuam procurando seus familiares que trabalhavam do complexo têxtil. As autoridades acreditam que os desaparecidos possam estar entre os 234 corpos enterrados sem identificação. Testes de DNA serão feitos para tentar identificá-los.

O desabamento do prédio que sediava 5 ateliês de confecção foi o pior acidente industrial da história de Bangladesh. Segundo o último balanço oficial, 1.124 pessoas morreram e 2.438 foram resgatadas com vida. O resgate de uma das sobreviventes foi considerado quase um milagre. A jovem Reshma foi resgatada com vida na semana passada, 17 dias após a tragédia, ocorrida no dia 24 de abril.

O governo de Bangladesh projeta construir no local um centro de reinserção para as vítimas do acidente. O país asiático é o segundo exportador mundial de roupas, mas muitos ateliês estão instalados em locais precários. O prédio que desabou na periferia de Daca foi construído sem respeitar as mínimas regras de segurança. Seu proprietário, membro do partido no poder, foi preso e indiciado por homicídio culposo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.