Acesso ao principal conteúdo
Grã-Bretanha/Afeganistão

Forças britânicas mantêm até 90 presos no Afeganistão

Soldado da Otan patrulha área onde aconteceu um atentado suicida em Cabul, no dia 16 de maio passado.
Soldado da Otan patrulha área onde aconteceu um atentado suicida em Cabul, no dia 16 de maio passado. REUTERS/Mohammad Ismail
Texto por: RFI
3 min

O ministro da Defesa britânico, Philip Hammond, confirmou hoje que as forças britânicas mantêm presos há vários meses cerca de 90 supostos insurgentes afegãos, em um centro de detenção provisório em sua base de Camp Bastion, no sul do Afeganistão. A informação havia sido revelada pela BBC.

Publicidade

Hammond negou que os afegãos estejam detidos ilegalmente, como denunciaram à rede de rádio e televisão pública os advogados britânicos de oito deles, que entraram com uma ação judicial em Londres para tentar obter sua libertação da principal base militar britânica, situada na província de Helmand.

"Nossos clientes estão detidos há oito ou até 14 meses sem que tenham sido pronunciadas acusações e sem acesso a advogados, em uma clara violação do direito britânico e internacional", afirma em seu site o escritório jurídico Public Interest Lawyers, que trata do caso. Os advogados veem semelhanças com o que acontece no centro de detenção americano de Guantánamo, em Cuba.

Em uma entrevista à BBC, o ministro da deefsa britânico admitiu que existem "ao redor de 80 ou 90" afegãos detidos em Camp Bastion à espera de serem transferidos às autoridades do país, mas classificou de "totalmente ridícula" a afirmação de que se trata de uma prisão secreta porque, segundo ele, o parlamento britânico sabia de sua existência.

"São pessoas suspeitas de assassinar militares britânicos, de facilitar, colocar ou estar vinculadas com artefatos explosivos improvisados", afirmou o ministro. Hammond criticou os advogados, dizendo que eles "pedem à justiça que liberte esta gente e as devolva ao campo de batalha para que possam continuar com as atividades pelas quais foram inicialmente detidas, colocando em risco as vidas das tropas britânicas e da Isaf", a força da Otan, acrescentou o ministro.

Hammond reconheceu, no entanto, que normalmente não deveria haver mais de 20 detidos em Camp Bastion, mas explicou que o elevado número atual se deve ao fato de o "sistema ter sido bloqueado por problemas na transferência para o sistema afegão".

O ministro acrescentou que o governo está trabalhando com os afegãos e com outros aliados para desenvolver um modo de transferência seguro desses suspeitos ao sistema judicial afegão. Segundo o Ministério da Defesa, as forças britânicas podem deter suspeitos por 96 horas, mas estão autorizadas a prolongar o prazo em circunstâncias excepcionais.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.