Israel/Palestina

Por acordo de paz, Israel anuncia libertação de prisioneiros palestinos

Ministro israelense Youval Steinitz (esq.) ao lado do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em agosto de 2011.
Ministro israelense Youval Steinitz (esq.) ao lado do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em agosto de 2011. Reuters/Baz Ratner

O governo de Israel anunciou neste sábado a libertação de prisioneiros palestinos sob a justificativa de distender a relação entre as duas partes e viabilizar uma retomada das negociações de paz. A medida, que era exigida pela Palestina, foi tomada um dia após o secretário de Estado americano, John Kerry, anunciar o reinício dos diálogos entre israelenses e palestinos.

Publicidade

Apesar de ter prometido a liberação de presos "importantes", o ministro de Assuntos Estratégicos de Israel, Yuval Steinitz, afirmou que o Estado judeu não cederia em outras exigências dos palestinos como pré-condições para negociar, como o congelamento dos assentamentos nos territórios ocupados e o reconhecimento das fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, em 1967.

"Haverá liberações de prisioneiros. Não quero dar números, mas prisioneiros importantes, presos há décadas (serão libertados)", disse Steinitz, acrescentando que eles serão soltos em etapas.

O ministro disse que alguns dos que serão soltos foram condenados por praticar atos violentos contra israelenses. "Não será simples, mas faremos esse gesto."

Os palestinos reivindicam há tempos a soltura de prisioneiros palestinos presos antes dos acordos de paz de Oslo, assinados em 1993. Um porta-voz do presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse que a libertação dos prisioneiros era uma prioridade palestina "que deve preceder todo acordo".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI