Líbia/Crise

Primeiro-ministro líbio renuncia a mudança de gabinete

Ali Zeidan, primeiro-ministro líbio, anunciou a criação de um “comitê de crise” para lutar contra a violência no país.
Ali Zeidan, primeiro-ministro líbio, anunciou a criação de um “comitê de crise” para lutar contra a violência no país. AFP / MAHMUD TUR

O primeiro-ministro líbio, Ali Zeidan renunciou nesta quarta-feira a modificar a estrutura do seu governo. A decisão anunciada à imprensa, foi tomada após uma consulta a seus conselheiros e membros do Congresso, a mais alta autoridade política do país.

Publicidade

Zeidan confirmou a criação de um “Comitê de Crise” dentro do governo para reagir mais rapidamente ao crescente número de assassinatos políticos e violências no país. O comitê será composto pelos ministros do Interior, Defesa, Relações Exteriores e Justiça, além do chefe da inteligência líbia. A proposta de um novo nome para o Ministério da Defesa também foi apresentada. O cargo está vago desde o final de junho, com a saída Mohamed al-Barghathi.

Na segunda-feira, o premiê havia afirmado que formaria um novo gabinete, um dia depois de uma explosão próxima ao tribunal de Bengazi, no leste do país, que deixou 43 feridos.

As autoridades de transição enfrentam dificuldades para formar um exército e uma polícia profissionais. O petróleo, tido como principal fonte de recursos do país registro uma queda de 70% das exportações, devido aos movimentos populares que geraram o fechamento dos terminais petrolíferos. O congresso cogita a dissolução do atual governo, como garantiu o porta-voz do órgão, Omar Hmidane. “Esse governo deve ser cortado ou remanejado ou reduzido”, revelou na terça-feira. “Há vozes na Assembleia que pedem a dissolução desse governo”, acrescentou.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI