Acesso ao principal conteúdo
Síria/guerra

Equipe da ONU chega a Damasco para investigar novos ataques químicos

Os inspetores da Organização das Nações Unidas devem chegar a Síria para investigar o uso de armas químicas.
Os inspetores da Organização das Nações Unidas devem chegar a Síria para investigar o uso de armas químicas. REUTERS/Ammar Abdullah
Texto por: RFI
2 min

Os observadores da ONU para a Síria chegaram nesta quarta-feira a Damasco para investigar pelo menos 14 ataques com armas químicas no país.

Publicidade

O Conselho de Segurança continua negociando a adoção de uma resolução que prevê sanções rígidas caso o regime de Bashar al-Assad não não respeite o acordo para a destruição de suas armas químicas.

A equipe da ONU, dirigida por Aake Sellström, chegou no final da manhã de hoje em um comboio de três veículos. O trabalho dos especialistas será o de verificar 14 denúncias do uso de armas químicas no conflito, que teve início em março de 2011.

A missão esteve no mês de agosto no país para investigar um ataque ocorrido no dia 21 na periferia da capital, que deixou quase 1500 mortos.

Um relatório apresentado no dia 16 de setembro na ONU concluiu que o gás sarin foi usado no conflito, mas sem responsabilizar diretamente o regime. A Rússia, aliada de Damasco, considerou o documento parcial.

Um relatório definitivo deverá ser divulgado no final de outubro.

Nesta terça-feira, em um discurso na abertura da Assembleia Geral da ONU, o presidente Barack Obama voltou a defender que uma resolução “firme” seja adotada pelo Conselho de Segurança.

A discussão gira em torno da adoção de uma cláusula que permitiria o uso da força caso o governo sírio não respeitasse o compromisso assumido com a comunidade internacional.

A Rússia não descarta a possibilidade, o que é considerado um avanço nas negociações.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.