EUA/afeganistão

EUA tentam negociar permanência de tropas no Afeganistão após 2014

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, negocia um acordo para a permanência de tropas no Afeganistão.
O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, negocia um acordo para a permanência de tropas no Afeganistão. REUTERS/Beawiharta

O secretário de Estado, John Kerry, chegou hoje a Cabul para se encontrar com o presidente afegão, Hamid Karzai, e tentar firmar um acordo que permita a presença de tropas americanas no Afeganistão, após 2014, quando a missão da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no país termina.

Publicidade

O principal entrave é a relutância dos Estados Unidos em aceitar duas condições consideradas fundamentais para o governo afegão: o compromisso americano em proteger o país como se ele fosse membro da OTAN e o compartilhamento de informações de inteligência coletadas pelos Estados Unidos em buscas a membros da organizaçõ terrorista Al-Qaeda. Em entrevista à BBC, Karzai afirmou que caso os americanos não queiram fazer essas concessões, eles "podem ir embora".

Concordar em proteger o Afeganistão é uma medida delicada, que pode criar conflitos com o Paquistão, aliado de Washington na região. Mas deixar o país também é uma decisão difícil, em função do risco representado pelos talibãs. O presidente Barack Obama estabeleceu como data limite para um acordo o dia 31 de outubro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI