Egito/Manifestação

Polícia lança bombas de gás lacrimogêneo em estudantes no Cairo

Policiais revidaram com bombas de gás lacrimogêneo às pedras atiradas pelos estudantes no Cairo.
Policiais revidaram com bombas de gás lacrimogêneo às pedras atiradas pelos estudantes no Cairo. REUTERS/Mohamed Abd El Ghany

As forças de segurança egípcias enfrentaram estudantes partidários do presidente deposto Mohamed Mursi, que manifestavam nesse domingo, 20 de outubro, no Cairo. Os jovens lançaram pedras contra os policiais, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo. Vários manifestantes foram detidos.

Publicidade

Em um comunicado oficial, o ministério egípcio do Interior afirmou que a polícia teve que intervir quando os manifestantes bloquearam as ruas em volta da Universidade Al-Azhar. Vários caminhões foram mobilizados para conter os jovens.

Os cerca de 500 estudantes tentavam se reunir na região de Rabaa, local onde, há dois meses, um acampamento de protesto foi destruído. Centenas de partidários do presidente deposto Mohamed Mursi foram mortos no episódio.

Nesse domingo, ao se aproximarem da entrada da universidade, os manifestantes atiraram pedras na polícia, que revidou com bombas de gás lacrimogêneo. Segundo as forças de segurança, pelo menos 11 pessoas foram detidas.

Especialistas acreditam que a onda de protestos pode aumentar com Egito com a proximidade do processo de Mursi. O presidente deposto, que é acusado com mais 14 pessoas de ser o responsável pela morte de manifestantes durante um protesto em dezembro do ano passado, comparecerá diante de um tribunal do Cairo no dia 4 de novembro. Segundo a agência oficial de notícias egípcia Mena, o primeiro chefe de Estado democraticamente eleito do país será julgado por ter “incitado seus partidários a cometerem assassinatos premeditados”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI