Israel/Palestina

John Kerry tenta romper ceticismo de Israel e Palestina sobre acordo

John Kerry (e) conversa com o presidente palestino Mahmoud Abbas em Ramallah
John Kerry (e) conversa com o presidente palestino Mahmoud Abbas em Ramallah REUTERS/Brendan Smialowski/Pool

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, está no Oriente Médio pela décima vez em cinco meses para tentar salvar as tratativas de paz entre Israel e Palestina. Nesta sexta-feira, ele conversou durante três horas com o primeiro ministro Benjamin Netanyahu, com quem já havia passado cinco horas na quinta-feira. Depois, seguiu para Ramallah, na Cisjordânia para reunir-se com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Publicidade

Na chegada a Ramallah, ele disse aos jornalistas que "todos os dias, avança-se um pouco" nas negociações, uma opinião que não parece ser compartilhada por ninguém. Ontem, Netanyahu disse desconfiar da "boa vontade" dos vizinhos depois que os 26 prisioneiros que Israel libertou nesta semana como parte das negociações foram - nas palavras dele - recebidos como herois pela Autoridade Palestina.

Para parte da imprensa israelense, o "acordo-quadro" que Kerry apresentou às partes - e cujo conteúdo não foi revelado - é um documento vago que visa simplesmente postergar as negociações para além do prazo fixado, de 29 de abril. Uma ideia classificada como "impossível" por Saeb Erakat, chefe dos negociadores palestinos.

A visita de Kerry acontece em um clima tumultuado. O ex-primeiro ministro de Israel Ariel Sharon pode morrer a qualquer momento depois de oito anos em coma e a violência na região não cessa. Ontem, forças israelenses balearam em Gaza um palestino de 16 anos. O adolescente morreu hoje.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI