Israel/Sharon

Só milagre para reverter estado de saúde de Ariel Sharon, diz hospital

O ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, continua em "risco de morte iminente", disse o diretor do Hospital Tel Hashomer de Telaviv, Zeev Rotstein.
O ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, continua em "risco de morte iminente", disse o diretor do Hospital Tel Hashomer de Telaviv, Zeev Rotstein. REUTERS/Nir Elias

O estado de saúde do ex-primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, piorou, informou nesta segunda-feira o hospital onde está internado. O boletim médico foi divulgado no final da manhã.

Publicidade

Ariel Sharon, de 85 anos, está em coma há 8 anos depois de ter sofrido um acidente cerebral no dia 4 de janeiro de 2006. A saúde dele vem se deteriorando desde o início deste ano. Apesar de uma “estabilização” de suas funções cardíacas, uma piora de outros órgãos vitais como pulmão, rins e fígado é observada dia a dia, afirmou o diretor do hospital Sheba, que fica em Tel Hashomer, próximo de Tel Aviv.

O “risco de morte aumentou”, segundo o diretor Zeev Rotstein e, segundo ele, salvo milagre, a situação de Sharon vai “continuar se degradando dia após dia”.

Ariel Sharon entrará para a história como um dos responsáveis pela invasão do Líbano, em 1982, quando era ministro da Defesa e também pela sua passagem na chefia do governo israelense marcada pela retirada dos colonos judeus da Faixa de Gaza, em 2005.

Uma comissão oficial de investigação concluiu pela sua responsabilidade por não ter previsto nem impedido os massacres nos campos de refugiados palestinos de Sabra e Chatila em Beirute, em setembro de 1982, cometidos por uma milícia cristã aliada de Israel.

Ele foi obrigado a pedir demissão, o que não o impediu de se tornar primeiro-ministro em 2001, cargo para o qual foi reeleito em 2003.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI