Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos/França

Cerimonial da Casa Branca se adapta à visita de Hollande sem primeira-dama

Depois da separação com Valerie Trierweiler, o protocolo de visita originalmente previsto para o casal presidencial, deve ser adaptado a um líder solteiro, sem uma companheira oficial.
Depois da separação com Valerie Trierweiler, o protocolo de visita originalmente previsto para o casal presidencial, deve ser adaptado a um líder solteiro, sem uma companheira oficial. REUTERS/Joel Saget/Pool/Files
Texto por: RFI
3 min

A ruptura entre o presidente francês, François Hollande e a ex-primeira dama Valérie Trierweiler, anunciada pouco antes da viagem do chefe de Estado aos EUA nesta segunda-feira, causou diversas saias-justas protocolares para a equipe da Casa Branca, que foi obrigada a rever o programa da visita.  

Publicidade

O primeiro imprevisto, segundo o jornal The New York Times, foi a reimpressão dos convites para o jantar de gala em homenagem ao presidente francês, que ocorre amanhã. Centenas deles foram parar no lixo, porque citavam o nome da ex-primeira dama.

No fim, o convite citará apenas o nome do presidente francês. Outro detalhe aparentemente sem importância, mas que certamente custou algumas horas a mais de trabalho para o serviço de protocolo, é o lugar dos convidados na mesa durante o jantar de Gala.

O plano de mesa teve que ser completamente reformulado, apesar do porta-voz da Casa Branca ter afirmado que "nada mudou", depois das revelações sobre o relacionamento do presidente francês com a atriz Julie Gayet.

O The New York Times também questiona um ponto fundamental : o tradicional baile ocorrerá mesmo se o convidado de honra não tiver uma parceira de dança ?

Em entrevista ao jornal americano, o ex-chefe de cozinha Walter Scheib brincou dizendo estar "curioso para saber se Hollande convidará a primeira-dama americana para uma valsa." Segundo ele, "a cena certamente ilustraria todos os tablóides americanos"

Chá das primeiras-damas

Outros ajustes no programa da visita de estado tiveram que ser feitos com a ausência de Valérie Trierweiler. Um dos exemplos é o encontro informal dos dois casais presidenciais na primeira noite da visita. O chá entre primeiras-damas e a visita a uma escola, que normalmente integram o programa, também foram colocados de lado.

A imprensa francesa debocha da situação e lembra que os americanos já estão acostumados aos problemas amorosos dos presidentes franceses. O ex-presidente Nicolas Sarkozy havia anunciado três semanas antes de uma viagem aos EUA o fim do casamento com Cécilia, pegando George W e Laura Bush desprevenidos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.