Irã/programa nuclear

Fracassa mais uma reunião sobre programa nuclear iraniano

A Central Nuclear de Rudeshur, no Irã.
A Central Nuclear de Rudeshur, no Irã. Wikipédia

O Irã e as grandes potências não chegam a consenso em mais uma rodada de negociações sobre o polêmico programa nuclear iraniano, em Viena. Os participantes concordaram em mais quatro meses de prazo, até 24 de novembro, para se tentar um acordo definitivo sobre a questão. As potências temem intenções bélicas com o projeto, mas Teerã garante que os fins são civis.

Publicidade

Não há data marcada para a retomada das discussões, mas segundo rumores, os especialistas devem se encontrar em agosto. Os países do 5+1 (Rússia, Grã-Bretanha, Estados Unidos, França, China e Alemanha) querem garantias concretas sobre as intenções civis do programa. A República Islâmica sempre negou as suspeitas de querer produzir armas atômicas.

Paralelamente, os Estados Unidos anunciaram que vão desbloquear 2,8 bilhões de dólares em ativos iranianos congelados. Em contrapartida, o Irã se compromete a converter parte de seu urânio enriquecido a 20% em combustível, informou o secretário de Estado americano, John Kerry.

Tempo de reflexão

Para o chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, o novo prazo vai permitir à Teerã “fazer finalmente as escolhas indispensáveis para se chegar a um acordo completo, confiável e durável”. O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, advertiu que o Irã deve mostrar que “está pronto para dissipar todas as dúvidas”.

Em novembro, as duas partes assinaram um acordo provisório em Genebra, no qual Teerã suspenderia suas atividades nucleares em troca da suspensão parcial – de 7 bilhões de dólares – das sanções internacionais que asfixiam a economia israelense.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI