Israel/Faixa de Gaza

Israel prolonga trégua até meia-noite de domingo em Gaza

Em Khan Younes, no sul da Faixa de gaza, crianças palestinas aproveitam a trégua para encher galões com água.
Em Khan Younes, no sul da Faixa de gaza, crianças palestinas aproveitam a trégua para encher galões com água. REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

O Gabinete de Segurança Israelense aprovou neste sábado (26) pedido da ONU para prolongar por mais 24 horas a trégua humanitária na Faixa de Gaza. A decisão é unilateral. O Hamas rejeitou a prorrogação, dizendo que nenhum cessar-fogo é possível sem a retirada dos tanques israelenses do território palestino. Salvo violação, os bombardeios israelenses estão suspensos até a meia-noite de domingo, pelo horário local, segundo comunicado oficial.

Publicidade

Como nas interrupções precedentes dos combates, Israel informa que interromperá a trégua caso o cessar-fogo seja violado. Logo após o fim da trégua inicial de 12 horas, o Hamas lançou três morteiros contra o sul de Israel. As sirenes de alerta chegaram a soar em Tel Aviv, mas essas provocações não foram interpretadas como uma ruptura do cessar-fogo pelas autoridades israelenses.

Na noite do sábado, em Tel Aviv, uma vigília reuniu milhares de pessoas que pediram o fim da ofensiva em Gaza.

Durante o dia, com a trégua, os serviços palestinos de resgate recuperaram cerca de 150 corpos em meio aos escombros dos imóveis destruídos pela aviação israelense em Gaza. Em 19 dias de conflito, o número de palestinos mortos subiu para 1.033, a maioria civis. Os hospitais do enclave palestino estão lotados, com mais de 6 mil feridos. Do lado israelense, dois civis e 42 soldados morreram em combate até agora.

O Hamas orientou os 160 mil refugiados de Gaza, o equivalente a 10% da população local, a não chegar perto de imóveis destruídos pela provável presença de bombas não-deflagradas. Mas os palestinos procuram parentes e amigos entre os destroços, na expectativa de oferecer um sepultamento digno às vítimas.

Iniciativa diplomática

Reunidos em Paris, os ministros das Relações Exteriores de França, Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Alemanha, mais Catar e Turquia, aliados do Hamas, pediram um cessar-fogo duradouro e o envolvimento do presidente palestino, Mahmoud Abbas, nas discussões.Ao final do encontro, o chanceler francês, Laurent Fabius, deu a seguinte declaração:

“Essa reunião foi positiva. Ela permitiu encontrar orientações comuns para a ação internacional em favor de um cessar-fogo em Gaza. Nós pedimos às partes envolvidas a prolongação do cessar-fogo humanitário atualmente em vigor. Nós defendemos um cessar-fogo duradouro, que responda às necessidades legítimas dos israelenses em termos de segurança, mas também às necessidades palestinas em termos de desenvolvimento socioeconômico e de acesso à Faixa de Gaza. Nós consideramos que é preciso associar a Autoridade Palestina a esses objetivos."

Gaza: um enclave desfigurado

Durante a madrugada de sexta-feira para sábado, pouco antes da entrada em vigor da trégua de 12h, um bombardeio israelense matou 22 pessoas de uma mesma família palestina, incluindo dez crianças. A casa atingida ficava em Khan Younès, no sul da Faixa de Gaza.

As imagens exibidas pelos canais de TV internacionais mostram que o enclave palestino está desfigurado, após 19 dias de bombardeios. Bairros inteiros foram arrasados. Crianças e idosos erram nas ruas em pânico, sem saber para onde fugir. Até sexta-feira, a Unicef havia divulgado um balanço de 192 crianças mortas na ofensiva.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI